SAL | Surf at Lisbon Film Fest
6ª Edição - 2 a 5 de Novembro 2017
Cinema São Jorge

Chegou ao fim no passado domingo, 5 de Novembro, a sexta edição do festival internacional de cinema de surf, SAL | Surf at Lisbon Film Fest, no Cinema São Jorge, em Lisboa.

Foram quatro dias em que se respirou o ar do mar e da água salgada no coração de Lisboa.

Uma vez mais, contou-se com algumas das melhores produções nacionais e internacionais.

Duas sessões foram dedicadas exclusivamente a produções nacionais, com filmes como “Nazaré, uma Onda para a História” de Rita Fernandes, “Sonho de Um Surfista" de Francisco Duarte, “Uma vida Melhor” de Ricardo Bravo, “Saca: O filme de Tiago Pires” de Júlio Adler e “Kalunga” de Bernardo Gramaxo, que retrata o panorama do surf angolano.

Várias sessões tiveram lotação esgotada, como “Under an Arctic Sky”, “Proximity”, a nova grande produção de Taylor Steele, ou a a obra prima de Nathan Oldfield, “The Church of the Open Sky”.

A par destes filmes, o surf feminino teve honras de sessão especial, com a longa metragem “It Ain't Pretty" ou "Waves of Change” como destaques.

Também a ligação actualmente tão visceral ao mundo das motos esteve presente através de três produções da Deus Ex Machina, que alarga o espectro daquele que é cada vez mais um mundo mais diverso e abrangente.

Para além de cinema, teve lugar a apresentação do terceiro volume do livro Fly Black Bird - More than a Surfboard, um projecto artístico multifacetado, e que foi apresentado pelo autor, o designer/surfista Pedro Falcão, tendo estado ainda patente o seu trabalho enquanto designer de pranchas.

Francisco Cipriano apresentou a segunda edição do “Portugal Surf Guide”, uma obra em co-autoria com António de Sá Leal.

À semelhança das edições anteriores, o evento contou com uma forte componente artística, através dos trabalhos de Frederico Malaca, Lisa “Lizzy” Marques, Lúcia de Brito Franco, Pedro Jafuno, Pedro Catarino, Pedro Falcão - com o projecto Fly Black Bird - e ainda o projecto Art In Fins. E ainda Manoela de Almeida, Ju Martins, Marianna Piccoli, Lorena Montenegro e Maíra Kellerman, fotógrafas apresentadas pela Girls On Board.

 


 

O SAL 2017 contou com a presença de 16 curtas metragens e 13 longas metragens, e os grandes vencedores da sexta edição do SAL foram os seguintes: 

Melhor Longa Metragem: Given de Matt Bianchi

Melhor Curta Metragem: One Shot de Darren McCagh e Russell Ord

Melhor Edição: One Shot de Darren McCagh e Russell Ord

Melhor Fotografia: Proximity de Taylor Steele

Melhor Banda Sonora: Beyond
Prémio Sustentabilidade: White Waves de Inka Reichert

Prémio Melhor Produção Nacional: Saca: O Filme de Tiago Pires de Júlio Adler

Foram atribuídas  menções honrosas a Kalunga, de Bernardo Gramaxo e a “ Uma Vida Melhor” de Ricardo Bravo e João Rito.

O SAL agradece, em primeiro lugar, à Câmara Municipal de Lisboa, à EGEAC e ao co-produtor, o Cinema São Jorge, agradecimento que se estende a todo o seu staff e equipa técnica.

Ao júri do evento, composto por Diogo Alpendre, Francisco Cipriano, João Catarino, João Capucho, João Neto, Miguel Bretiano, Pedro Falcão e Rodrigo Meirelles, um sincero agradecimento pela preciosa disponibilidade.

Um agradecimento muito especial ao Hugo Silva / Red Bull, o fotógrafo oficial do evento, por nos acompanhar, dia após dia, pelos recantos do Cinema São Jorge.

Um agradecimento à AHUA e ao seu mentor, Nuno Mesquita, pela oferta dos troféus e ainda à JoyFaktor pela produção de vídeo.

E ainda aos apoios Fly Black Bird, Red Bull MediaHouse, Javali, Fiúza - vinhos, Guilty by Olivier, The Collective e Girls On Board. Aos parceiros de media Fuel TV e SurfPortugal, no apoio à divulgação, Turismo de Lisboa,  Turismo de Portugal e Agenda Cultural de Lisboa.

O SAL volta em 2018 de 1 a 4 de Novembro, como sempre, no Cinema São Jorge.

SALAC | Surf at Lisbon Film Festival

23331444_1721364577875735_5319304131655553109_o.jpg